Manual de Sobrevivência Universitária

Hoje é o meu último dia de férias.

O mais prudente e apropriado a se fazer em um dia como esses é organizar, arrumar o caderninho, o estojo, a lancheira e esperar ansiosamente pelo glorioso dia. Mas não, seria assim se eu fizesse USP. No caso, o melhor a fazer é arrumar as tintas, a cachaça e/ou entorpecentes afins, para quem é do rolê… como eu faço PUC, seria normal pensar que eu fumo uns banza, mas não é o caso. Porém, eu imagino que tem nego fumando um baseado na sala dos professores, para conseguirem brisar tanto nas aulas…

A minha primeira ideia para era a de fazer um resumo das minhas férias (passei um mês sozinho em casa, com minha família a 3×10³ km de distância. Porém, decidi contemplar os meus amigos que entraram na faculdade (PARABÉNS!) com algo útil neste começo de vida acadêmica de verdade. Assim, resolvi fazer o

Manual de Sobrevivência Universitária do Adriano,

que baseia-se em uma listinha que eu fiz. Vamos lá!

# Trote Provavelmente, este é o momento mais aguardado pelo estudante que passou anos e anos enchendo o cu de cana estudando e chegou ao ensino superior com louvor. O trote tem este nome porque o objetivo deste é ensinar o calouro (a partir daqui chamado de bixo) a ‘trotar’, a saber como funciona a universidade. Como todos nós sabemos, é muito útil aprender a ser careca, depilado, beber doze litros de vodca vagabunda, rolar no chão, ser ‘empanado’ com café e farinha de trigo e, para fechar, ainda voltar pra casa, sendo fotografado do começo ao fim — sempre alguém leva uma câmera, pois toda essa imundície, beeem no fundo, traz orgulho para o papai, para a mamãe e para o próprio bixo.

O mais importante a se dizer sobre o trote é que ele é um exemplo vivo da atuação da Lei de Murphy: você, querido bixo idiota, vai ter um trote muito pior do que você imagina e a pior ressaca de toda a sua vida. Mas isto tem um lado bom – no ano seguinte, você pode descontar tudo isso nos pobres bixos que te sucederão.

ESSE ANO É MINHA VEEEEZ. HAHA x)

# Aulas Como eu faço jornalismo, era de se esperar que eu não fosse estudar nada, afinal minha facul é inútil e não precisa de diploma, segundo os meus amigos engenheiros filhos da puta. Mas no meu caso é verdade, no ano passado eu aprendi a beber ainda mais e também aprendi que comunismo em excesso faz mal. O principal a se dizer com relação às aulas é: você não precisa estudar!

Acompanhe o meu raciocínio: nosso cérebro armazena novas informações e ‘deleta’ informações antigas. Qual é a graça de você esquecer o nome daquela gostosa que estudou com você há alguns anos para guardar no seu cérebro que a integral é o inverso da derivada (o___O) ou que Hobbes é contratualista? Ou pior, que você vai esquecer TUDO! Ou pior, que quanto mais coisas você guarda na cabeça, mais chance você tem de ter mal de Alzheimer!?!?

Sem contar que, já formado, você não passará de um peão com diploma. Grandes bosta estudar então. Ainda mais se você for bancado pelos pais! Melhor é ir pro bar entornar um tonel de Ypióca para conseguir beber mais do que o seu chefe – ISSO é importante! Beber mais do que o seu chefe é a melhor forma de despertar a satisfação dele. Anotem isso.

# Festas A oportunidade ideal de se conseguir conhecer gente nova, de outros cursos, de outros anos, qualquer pessoa que você possa catracar no futuro. São o verdadeiro objetivo da universidade, pois você faz contatos (construindo o seu networking) e pode pôr em prática tudo o que aprendeu nas aulas, entornando toneis e mais toneis de bebidas alcoólicas. Se você não dança funk, axé ou porra nenhuma, o etanol resolverá a situação com seus inebriantes poderes. Compareça aos Jogos Universitários, onde você poderá colocar toda a sua raiva para fora xingando todos os concorrentes que você eliminou no vestibular – ou xingando os nerds virgens que tiraram o seu posto. Vejam um excerto do que se ouvia no JUCA 2009:

‘USP como pode? As suas minas têm bigode’

‘Só para não esquecer, a Metodista é a UNIP do ABC’

‘Puta que o pariu… é a maior antena do Brasil… Cásper!’

‘Eeeei, Mackenzie, vai tomar no cu. FILHA DA PUUUUTA!’

‘Puta que o pariu, é o maior puteiro do Brasil… FAAP’

MACOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOONHA!’

Não precisa dizer a qual universidade o último grito se destina.

# Instalações da Universidade é muito importante saber tudo sobre o prédio onde você estuda — o bar faz parte dele, impreterivelmente. É primordial saber todos os esconderijos (para eventuais pegadas), todos os banheiros (para eventuais cagadas) e os pontos de venda de drogas e os recintos apropriados para o consumo destas. É essencial conhecer onde os professores ficam (para nunca passar por este lugar em uma eventual fuga) e saber o nome de todos os bares, tomando nota do nome dos funcionários e das eventuais promoções ocorridas nos estabelecimentos, pois não há nada melhor do que tomar cerveja com os amigos e gastar pouco. A biblioteca é o dormitório especial, nunca podendo ser utilizada para outro fim.

# Dicas gerais Xeroque todos os seus livros. Aliás, não faça isso. Sempre haverá um veterano disposto a te dar suas fotocópias por um preço acessível e se livrando da papelada desnecessária. Eleja um membro da sala como Representante – este é o responsável por ouvir, via rádio, todos os jogos de futebol e repassar aos seus companheiros. Também eleja um tesoureiro, para organizar o complexo pagamento das contas no bar.

Na sexta-feira, sempre haverá as aulas mais chatas e modorrentas da História. E você terá a difícil escolha entre a aula e a cervejada. Difícil escolha, diga-se por sinal. Nunca misture bebidas alcoólicas com salsicha – você vai vomitar muito e a culpa, lógico, é da porra do cilindro vermelho que você pôs para dentro. Um caderno de 100 folhas é mais do que suficiente para todo o curso. Você vai engordar e ficar velho, com certeza. Mas será a melhor fase da sua vida.

Ah, sim. A dica mais importante:

Universidade = Álcool

E vamo que vamo! Boa volta às aulas!

Anúncios

5 Comentários

  1. O universidade = álcool…. e maconha…

    Sem mais

  2. esse blog foi o mais fútil que eu já entrei na minha vida. um jornalista como você não merece um diploma mesmo.

  3. HAHAHAHAHAHAAA,veterano,adorei as dicas do manual =)
    e,vlw por passar no meu blog,q bom q gostou

    ;**

  4. Bem, posso dizer que fiquei bem impressionada com teu post, de verdade! haha…
    Acho que devo viver num mundo obscuro, porque não vejo nada disso no meu curso (Letras – UFRGS). Óbvio, tem festas, mas a maioria do pessoal não vai. Estudar todo mundo estuda – tem cada cadeira infernal. Quanto ao trote… até que foi bem leve, só tocaram tinta e fizeram a gente passar um pouco de vergonha =P
    Se quiser dar uma lida sobre como foi meu começo de faculdade dá uma olhada no meu blog, tem um post exclusivamente para isso.

    Mas foi um post muito engraçado haha


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s