Sobre burrice e motivação…

Que bosta...

Sinto saudade dos burros de antigamente, tipos cada vez mais raros de se encontrar nos escritórios, bancos, lojas, consultorias e assessorias de imprensa do nosso Brasil. Acompanhamos a ascensão de um novo tipo de estúpido, que infesta todos os postos de trabalho: o burro motivado. A moda hoje é contratar uma psicóloga gordinha e aparentemente satisfeita com a vida para fazer aquele burro “genuíno”, de antigamente, se tornar um burro que se acha motivado, feliz e – pasmem – inteligente!

Não há nada pior que um burro motivado. Tenho certeza que você trabalha com alguém que afixou na parede uma folha colorida, do tipo “10 passos para ter uma vida feliz” e te manda powerpoints com histórias de superação enviadas pela tia diabética, a Dona Vânia, com pessoas sem braço, sem perna e sem fígado, mas que se deram bem na vida. O problema é que não conheço nenhuma história de superação de pessoas sem cérebros e tão inteligentes como um crepe de maçã.

A diferença entre você, leitor inteligente, e o burro motivado é que você pensa durante dois segundos naquele rapaz sem braços e pernas que ganha dinheiro pintando paisagens; já o nosso estúpido e motivado amigo utiliza-se daquilo como um combustível, fazendo intermináveis horas extras e continuando a ganhar aqueles míseros quinhentos reais.

O burro motivado é feliz demais. É aquele que, com a sua alegria inveterada, estraga o seu saudável mau humor às segundas-feiras. Inventa apelidos para todos e sempre quer fazer alguma dinâmica. Para eles, a melhor coisa do mundo é dividir todos os funcionários do escritório em grupos de quatro pessoas, dar um pedaço de cartolina para cada um e pedir para que todos “criem uma empresa”. Burros adoram dinâmicas – sendo assim, a maioria deles se torna um profissional de RH.

Outro ponto comum em burros motivados é o espírito de liderança. Eles adoram propor projetos mirabolantes – e caprichosamente estapafúrdios – e chefiá-los. Como, obviamente, a ideia era idiota e nem todas as pessoas concordam com as imbecilidades do líder, após o fracasso o burro sempre diz que a culpa “foi de um complô dos integrantes da equipe contra ele”.  O burro motivado pensa que a sua vida é o Big Brother Brasil, mas o prêmio, como disse acima, é de apenas quinhentinhos…

Pior ainda é quando o burro motivado é o chefe. Pode parecer paradoxal que burros conquistem papeis de liderança no mundo, mas isto é apenas a prova de que a nossa sociedade está infestada de burrice, falta de motivação e powerpoints da gloriosa Dona Vânia. O chefe burro motivado é aquele que analisa a sua proposta, diz que “está ótima, mas temos que mudar uma coisinha”, mas transforma seu trabalho em um pedaço de rabada podre e, após o fracasso, diz que “aquele sem projeto era uma porcaria mesmo, não?”.

Este infeliz que chefia a sua vida adora mandar coisas para você fazer faltando cinco minutos para o fim daquelas intermináveis horas do expediente, dizendo que “quem cresce é quem dá o sangue na empresa”, e que nunca lembra o seu horário de saída: sempre pergunta “mas já tá indo?”, mesmo após você trabalhar durante 18 horas – logicamente, com 15 minutos para comer uma bolacha água e sal com suco tang de tamarindo, “porque temos que respeitar os direitos dos nossos colaboradores…”. O burro motivado que se torna chefe não se contenta apenas com horas extras: tem que trabalhar até meia-noite, para cometer a burrice de provocar um infarto aos 37 anos.

Como jornalista, entendo que sou um cara inteligente e desmotivado, graças a Deus. Não acredito em psicólogos, odeio as dinâmicas em grupo desgraçadas e acho o meu mau humor às segundas essencial para me concentrar. Infelizmente, percebo que estou rodeado por burros motivados – provavelmente por ser um assessor de imprensa – e que não conseguirei fugir das horas extras e dos quinhentos reais. Começo a perceber que preciso me motivar… vocês têm o telefone da Dona Vânia?

Só pra constar: esse texto foi escrito há quase um ano, época em que tinha um chefe desgraçado, infeliz e filho da puta. Chefes atuais, juro, ignorem!

Anúncios

7 Comentários

  1. […] O post abaixo me fez ter um assunto para escrever nesse feriado tão propício ao tédio: hoje o Quengaral vai fazer um perfil antropológico de um dos eventos mais nojentos da vida de qualquer desempregado – as fatídicas dinâmicas de emprego. Nessas ocasiões, dominadas pela falsidade e por um amor incondicional a empresas que nunca ouvimos falar, as pessoas falam as maiores besteiras de suas vidas só para alegrar profissionais de RH, que se acham psicólogos, mas são uns pamonhas. […]

  2. Eu ri muito e concordo com você, o mercado está inundado de gente medíocre que se acha o Super Homem por causas dos PPT’s da Dna Vânia.
    Enfim, sou um inteligente desmotivado…e feliz !

  3. que texto fantástico! hoje em dia é difícil encontrar tanta verdade em um só texto. eu com meus 20 anos já me identifiquei com tudo que foi dito. já está adicionado aos favoritos!

  4. hahahah Ri demais com o texto, mas ri mais ainda com a frase em vermelho!!! huahauahua

  5. concordo em número e grau…me identifiquei com esses texto….pois trabalhei 4 anos com um chefe que era assim burro e motivado…fez muita merda, muita mesmo e provalmente ainda deve estar fazendo e ganhando bem pra o fazer…pois sabem bem lubridiar as pessoas….as vezes ser burro e motivado não é tão ruim assim…se colocar-mos uma pitada de esperteza ai as coisas vão lindo….kkkkkkk

  6. Kkkkkk…Muito bom!!


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s