Sobre ficção científica…

Mom?

Olá, porra!

Como o ibope desta merda está baixo, pois as pessoas nas férias fazem mais sexo e têm menos tempo para esse tipo de idiotice, vou tentar arrebanhar mais cliques escrevendo. Por uma sucessão aleatória de fatores, acabei chegando a um arquivo da Wikipédia que fala sobre Futurologia. O nome já diz tudo. Enfim, que paspalhada – e o pior, descobri que há uma disciplina na minha universidade que tem exatamente esse título. Anyway, pra que futurologia se temos o Walter Mercado?

Lendo o artigo da Wiki e vendo as especulações futurológicas sobre o nosso futuro, resolvi compartilhar com vocês o meu amor por ficção científica, todos os absurdos que podemos ‘prever’ e o que Adriano Lira dirá que acontecerá nos próximos anos. Comandante Hamilton, mostre as imagens à audiência.

Continue lendo

Salvem a música ruim!

Dou R$ 3,50 e um suco pra quem acertar quem são esses daí. Tentem!

Tudo bem com você hoje?

Normalmente, eu não tenho um tema na cabeça quando eu vou escrever aqui. Não sou um cara inspirado, mas minha esquizofrenia criativa sempre faz com que alguma coisa saia, uma combinação de palavrões que arranque pelo menos um sorriso tímido de alguém que está sendo açoitado por um chefe filho da puta.

Enfim, hoje estou aqui para fazer uma análise musical. Quero provar pra você, leitor de merda, que o que era ruim de se ouvir antigamente era muito melhor do que os lixos de atualmente. Na verdade, entre os meus amigos, percebo que toda aquela caralhada ruim se tornou ‘cult’ – Beto Barbosa agora nos remete a uma época inesquecível e que não volta mais. Porém, duvido que daqui a dez anos o meu irmão vai sentir nostalgia ouvindo happy rock.

Continue lendo

Ensaio sobre o tédio

Estou de férias e amanhã é véspera de feriado. O desemprego que não termina causa uma falta de dinheiro que chega a doer na alma – não tem dinheiro pra uma porra de um Chicabon. Sendo assim, sem nada pra fazer, sem dinheiro e sem amigos para tentar matar o tempo em algum piquenique sem graça no Ibirapuera, tenho que me entregar à amarga sensação do tédio.

Estou em brasas de tão animado

Talvez eu seja um cara que não pode ficar parado porque é pobre proativo. Sabe, daqueles que ficam falando ‘não sei o que fazer em casa?’. Tipo o seu pai, que parece um corpo estranho na sua casa com aquelas roupas civis, sem o seu uniforme de torneiro mecânico… eu sou tipo assim, fico tomando café e pangolando pela casa. Não sei se é pior agora ou quando era mais novo, porque naquela época quaisquer cinco minutos livres era motivo para fazer justiça com as próprias mãos.

Continue lendo

Desculpem a demora

Olha, poderia dar milhões de desculpas por ter passado tanto tempo sem escrever…

Não quero falar com wordpress, tá bommm?

…mas não interessa, palhaços!

Brincadeira. Nesses meses todos longe, fiquei surpreso pela movimentação que essa porcaria de blog ainda tem. Por exemplo, o meu blog sério e sem graça, que mostra o meu lado “jornalista consciente que os professores querem levar para o marxismo”, apresenta a grandiosa média de 0,33 visitas por dia. Isso é, já que vocês querem ler besteira e as férias estão chegando, resolvi reativar o meu amado blog! Aposto que você não está fazendo nada útil, então “leia mais”. Caso contrário, você vai arder no mármore do inferno!

Continue lendo

Pois é, galera. Tô indo…

Gente, finalmente o dia chegou!

Malas prontas, sobrou um tempinho pra eu simplesmente me despedir do blog, dos amigos que não tive tempo pra falar alguma coisa e dos leitores do Quengaral, que às vezes passam por aqui e eu não faço ideia de quem são.

Podem ter certeza que daqui a dois meses eu volto muito melhor e com experiências que provavelmente será decisivas para a minha vida daqui pra frente. Conhecer cinco países e atravessar hemisférios, viajando o mundo em 51 dias, vai ser no mínimo fuderoso.

Enfim, é um até logo. Tenho certeza que vou trazer muitas coisas engraçadas pra todos, tipo um #vanuatufeelings. E vai Corinthians!



		
	

メリークリスマス!

[Atualizado em 25/12/2010, porque o nome da ilha é Vanuatu!]

Feliz Natal!

Depois de muito tempo sem postar, aqui estou eu! Graças aos mecanismos de indexação do Google, esse site ainda tem visitantes que acham esse lixo na cagada e riem a valer. Olá, visitantes. Obrigado, Google!

Este post tem muitas notícias boas e uma ruim. É provável que eu passe muitas semanas, tipo umas 10, sem postar aqui. Mas acho que a minha ausência por longos períodos é algo normal para todos.

A principal boa notícia…

É que eu vou pro Japão!

Continue lendo

Trubufus da minha vida

Oi, galera! Espero que vocês não tenham sentido muita falta do Quengaral.

Minha rotina tá tensa, como a de vocês, e é muito difícil conciliar. Blá, blá, blá.

Ah, recriei um blog sério, o Vossa Insolência. Mas cara, basicamente pra copiar e colar trabalhos da facul onde eu possa mostrar uma faceta mais comum e não tratar de nada mais sério aqui e para eu colar no meu currículo e nos meus e-mails.

Esse post vai falar da atração que trubufus do mais feio calibre têm por mim, mas antes deixem-me mostrar a minha nova cara barbada, atendendo às solicitações de muitas cabrochinhas da PUC e do Raul Galhardi, que supos – acertadamente, diga-se, que eu pareceria um turco-terrorista-malvadão. O que acham?

O boné é porque meu cabelo tava zoado

Bom, assim como a região nordeste, tão amada por Mayara Petruso, eu me declaro, oficialmente, na seca. Quem quiser me pegar deixa um comentário abaixo.

O foda é que eu tenho alguma coisa que só me faz atrair assombração. Diria Chico Xavier que em uma vida passada eu devia ter pego muita mulher gata, me aproveitando delas e jogando fora como uma seringa hospitalar com Voltaren. Agora, para sanar a dívida, terei que transar com peixes-bois e meninas espinhentas até o fim da vida, é isso?

Continue lendo