Post sem título #2

I love pizzas

Olá, povo fofucho da minha vida.

Não tenho NADA pra fazer. Aliás, até tenho, mas tá passando Calcinha Preta na TV e tenho que assistir junto com minha família, retrato social do brasileiro popular. Logo, resolvi escrever sem rumo e objetivo… exercitando o meu prazer de escrever – ou passando meu tempo – ou fazendo as pessoas chegarem aqui, curiosas, e perceberem que o post tava uma merda… bah, tudo bem.

A primeira coisa que é interessante falar: ESSE KASSAB É UM FILHO DA PUTA! Eu acho que ele só não proíbe pobre de andar na rua porque não pode. Como pode, né, o cara não tem nada pra fazer no gabinete… aí fica escrevendo uma porção de bosta… restringe motoqueiro na marginal, fretado nas ruas, pobre na Berrini e coisas do tipo. Eu gostaria que uma mandioca adentrasse o seu ânus, restringindo este imbecil de viver em sociedade. Aliás, se teve uma coisa que eu fiz de errado nessa vida, foi ter votado nele. Acho que vou pro túmulo arrependido.

Uma sugestão de leitura: o menino que gozou no Dreamcast. ÉééÉé… isso mesmo. Tava tocando uma bronha e esporrou na manivela. Leia. 

Nunca jogue playstation no Ceará:

 

E esse caralho de BBB, heeem? O foda é que fazia tempo que eu não assistia a esse tipo de coisa… mas o Twitter e os meus amigos do BaresSP ficam falando nisso o dia todo – e como eu me sinto triste quando não saibo das coisas, comecei a dar uma olhadinha também. Aliás, os Trending Topics do Twitter só falam bosta: #ficalia / #ficadourado / #douradothefuckingking / #horadoplaneta. Aliás, houve essa tal Hora do Planeta aí.

Mas se pá não me avisaram.

Ou então nessa hora eu tava dormindo e tava tudo desligado. No dia mundial sem carro, vai chover, alagar e TODO MUNDO vai estar com Fiat Palio 99. Aliás, que hipocrisia, né?

No Dia Mundial da Água, o UOL azul, o Estadão azul, a minha benga azul. Não era mais fácil não publicar o jornal desse dia. Ia ocorrer muito menos desperdício e as pessoas poderiam ouvir menos merda. Aliás, que a Veja se dane. Que a Carta Capital se dane. Vou largar jornalismo e virar eremita no Pacífico.

Quanto mais a gente ganha dinheiro, tem um padrão de vida melhor, tudo vira bosta, né?

Então, acho que vou pra roça, viver lindamente. Mas antes preciso comprar um notebook da Dell pra me acompanhar.

Que mundo hipócrita!

Não sei porque eu pus isso aqui

O que interessa é que a publicidade evolui muito, não?

De buenas, acho que eu bebi cachaça e não tenho mais o que fazer. Meishmo. Antônio Nunes. Pá!

Uma vez me falaram que eu escrevi que nem o José Simão, da Folha. Só pra constar. Quem pensou nisso, VAI TOMAR NO CU!

Quer saber? Vou ter uma semana para escrever. Afinal, a Páscoa só serve para se empanturrar e fazer idiotices. E não há nada mais idiota do que escrever num blog com vodka e ovo de páscoa na pança, falaê.

:*

Anúncios

Iguana revisited #7

Mais um convite à nostalgia, com um post super demais do meu antigo blog. Estava pensando em escrever mais coisas novas, porém tenho que me entreter sobre um tal de Consenso de Washington, para a aula de Política. Assim, mostro um post do ano passado: 

.

Top 5 – Pessoas que assustavam minha infância

.
O blog deu uma estagnada por estarmos passando uma semana mais ou menos conturbada na PUC – nem fomos ao bar esta semana. Hoje temos prova de Teologia, e também ler uma porção de coisa – já que ninguém presta atenção no professor… a gente tem que ler, né…

 Mas então… quando somos pequenos, mais coisas nos assustam do que quando maiores. Eu, como a criança normal que sempre fui, tinha meu sono perturbado por personalidades nefastas e assustadoras – e o pior é que alguns deles não me assustam mais nem fodendo – vi coisas mais feias enquanto crescia no admirável Reino do Sacomã. Palhaços, obviamente, me assustavam, mas não tem graça colocar algo que assustava a todos. Bom, vamos ao que interessa:

 #5- Gil Gomes / Carlos Alborghetti: Pra quem não se lembra, estes dois filhos da puta apresentavam programas semelhantes, de jornalismo (?) policial. Gil Gomes, mais famoso, apresentava o ético e refinado Aqui Agora – assustava as pessoas com aquela voooooz, fazia uma corcunda e fazia um movimento semelhante ao que um DJ faz em sua pick up:

 Alborghetti é mais conhecido pelos ‘LeiTCHEEE QuenNNnnte’ do Paraná. É (ou era) um apresentador centrado, calmo e educado. Preocupado com os direitos humanos, é uma pessoa agradabilíssma de se ver na TV. Com certeza pior que Gil Gomes, tinha um belo corte de cabelo e andava com um toalhinha, pois ele suava como um porco na Suazilândia:

 

 Tanto um como o outro, com seu pitoresco jeito de se fazer TV, conseguiam fazer com que eu pedisse pra minha mãe pra por na novela da Rede Glóbulo de Televisão!

 #4- Doutor Enéas Carneiro: – “Miasmas pútridos emanam do congresso em Brasília, contaminando o ar da metrópole. Mas o meu nome não exala odor mefítico, porque não chafurda no pântano da ignomínia!” – Enéas

 Este senhor, que após alguns biênios até se tornou uma figura aprazível para mim, fazia um real pandemônio em minha juvenil cabeça. Lembro da primeira vez que o vi, aos três anos de idade, em uma campanha política, parecida com isto: 

Sem maldade, esse video do Eneas é uma das coisas mais fodaas que eu já vi! 

#3- Dercy Gonçalves:

“Dercy trocou minhas fraldas e passou talco no meu bumbum” – Deus sobre Dercy Gonçalves

 Esta velha filha duma puta, que foi assassinada por sua rival (que quer tomar seu lugar), Hebe Camargo, sempre me assustou, até a sua morte, aos 1,2×10³¹ anos. Mais enrugada que um maracujá, esta agradável senhora só serviu mesmo para difundir a palavra mais utilizada pelos habitantes do Sacomã – POOOOOORRA! O engraçado é que diziam que seu cachorrinho era chamado assim.   

 

#2- Carlos Valderrama: Para quem não conhece de nome, este é um ex-jogador colombiano. Aliás, dos melhores que nasceram na República das Ervas – maior parceira comercial do Sacomã. O que deixava todas as criancinhas com medo não era seu futebol – jogador bom a gente tinha aqui – e sim, isto:

Mano, de boa, é uma das coisas mais feias que já existiram em toda a História. Tem uma irmã, nascida aqui no Brasil.

Para fechar… TCHANAM!

#1 – Professor Tibúrcio: Este é top. Provavelmente as pessoas nem se lembram dele, mas era um personagem do progrma Rá-Tim-Bum!, lá da TV Cultura. Era um programa educativo e contava com outras coisas que me davam medo – como o sensacional “Senta que lá vem história”. Era interpretado por Marcelo Tas.

O que me conflita até hoje é o motivo de, num programa infantil, colocarem um filha da puta desse, pintarem ele de branco e colocarem uma roupa preta num fundo monocromático. A música contribui muito, também. O clima se tornava assustador, mano! Pra terminar, o Professor entrava e saía de cena como um demônio, numa velocidade escalar média de 3650 mph:

Bom, nem precisa dizer que esses caras me traumatizaram e me fizeram crescer e me tornar este cidadão idiota que vos escreve, né…

 Beijos – e comentem, desgraçados!